Notícias

Abracrim Discute a Advocacia Criminalista

foto-noticiaO advogado criminalista Lúcio Adolfo da Silva acumula 1,2 mil júris no currículo em seus mais de 25 anos de carreira. Considerando um dos mais experientes do Estado, ele já defendeu réus famosos, como o goleiro Bruno Fernandes e o traficante  Fernandinho Beira-Mar. Desde julho, o advogado divide os tribunais com o cargo de presidente da Associação dos Advogados Criminalistas de Minas Gerais, um braço estadual da Associação Brasileira dos Advogados Criminalistas (Abracrim). Seu mandato será de quatro anos, tempo em que promete se esforçar para reunir a classe na luta por um melhor processo de representatividade. Os advogados penais têm uma imagem pública negativa, segundo Lúcio Adolfo,  e seu objetivo é justamente desfazer essa má aparência. “Há a ideia de que o advogado criminal seja um escroque, um bandido. Nossa pretensão é mudar isso, fazer uma nova frente ampla, rediscutir o papel desse advogado no contexto atual”, explica Lúcio Adolfo.

Para essa empreitada, a Abracrim organizou o primeiro Congresso Estadual dos Advogados Criminalistas de Minas Gerais, que aconteceu em outubro, com encontro de lideranças penais do Estado. “Quero ampliar a participação dos advogados uma associação forte e sólida”, Lúcio Adolfo completa. Há dois outros importantes projetos para 2015: um deles é erguer a primeira Biblioteca Penal do Estado e o segundo se trata da criação do Instituto Penal de Minas Gerais. Com isso, o advogado acha possível unir a classe e revelar a história dos principais criminalistas mineiros a fim de estabelecer um corrente nacional em prol da causa.

Em processo de revitalização, a Abracrim esta recadastrando seus associados. A meta é atingir 6 mil recadastramentos até dezembro. A fórmula para chegar lá é a simplicidade e o dinamismo, qualidades que Lúcio Adolfo diz admirar na gestão da NOVA CAA, com quem pretende fechar muitas parcerias. “Vejo que a liderança da Caixa de Assistência em Minas Gerais deveria ser copiada. Ela tem à frente alguém de quem sou admirador, que apresenta soluções simples. Temos que aprender essa lição do dinamismo, em que se pode fazer tudo com simplicidade. Essa é minha pretensão”, conclui o advogado.

Fonte: Revista INOVA CAA – A Revista da Advocacia Mineira (2015), “Abracrim discute a Advocacia Criminalista”, Novembro/2015, pp. 79/80.